A doxologia final de Romanos 16.25-27

O apóstolo Paulo ensaiou encerrar esta carta algumas vezes. Concluiu sua exposição doutrinária com uma sublime doxologia (cf. Rm 11.33-36). Depois invocou a benção três vezes (cf. Rm 15.33; 16.20; 16.24) antes de encerrar com a doxologia final, citada acima. Essa é a mais longa doxologia de Paulo usada em suas cartas. Paulo nos legou outras grandiosas doxologias; contudo, elas não estão escritas na conclusão das epístolas, mas incrustadas no próprio corpo da exposição.

Este é o último parágrafo de Romanos. Conforme o Dicionário Aurélio, doxologia significa: fórmula litúrgica de louvor a Deus; prece ou cântico cuja finalidade é glorificar a Deus. Esta doxologia é um final majestoso para esta carta que trata de temas que, relacionados entre si, apresentam o plano completo de Deus para a salvação da humanidade. Por isso, quando nos aprofundamos no conhecimento deste plano salvífico só podemos exaltar, glorificar e agradecer a Deus por tão grande amor.

Na verdade, toda glória deve ser dada a Deus, pois nele temos a finalidade de todas as coisas. Embora muitos pensadores antigos e muitíssimos atuais não concordem, juntamente com Paulo, nós somos aqueles que entendem e aceitam que Deus e não o homem é o centro do universo. Nós, seres humanos somos seres criados e, assim  totalmente dependentes do Criador. Enquanto isso,  cremos que Deus é o Criador. Ele é auto existente, ele é completo e perfeito em si mesmo. Ele é o Deus que os judeus, juntamente com Paulo (cf. Dt 6.4), e juntamente com os cristãos o reconhecem como Deus único.

Diante deste plano tão gracioso que objetiva a salvação da humanidade, todo cristão deve exaltar continuamente a Deus. Nesta doxologia encontram-se três razões que devem mover o cristão exaltar Deus continuamente.

 

  1. Deus deve ser exaltado pelo seu poder

 

a)    O poder de Deus é capaz de salvar (Rm 1.16)

b)    O poder de Deus é capaz de confirmar (Rm 16.25; 1.11; 1Co 1.8; Cl 2.7)

c)    O poder de Deus é capaz de alicerçar a fé, a confiança (Rm 4.21)

d)    O poder de Deus é capaz de ser conhecido (Rm 9.22)

 

 2.  Deus deve ser exaltado pelo evangelho de Cristo

 

a)    Esse evangelho foi entregue a Paulo (Rm 2.16; Gl 1.8,9,11-12; 2Tm 1.12)

b)    Esse evangelho foi, é, e deve ser proclamado (Rm 1.15; 10.14-15)

c)    Esse evangelho é a revelação do mistério (Ef 3.3-6; 6.19; Cl 1.27; 2.2)

d)    Esse evangelho tem um conteúdo abrangente (Rm 10.11-13)

e)    É para salvação dos judeus (Rm 11.26) e para os gentios (Ef 3.3-6)

 

3.  Deve ser exaltado por ser quem Ele é

 

a)    Deus é poderoso (Rm 4.21; Ef 3.20)

b)    Deus é Eterno (Rm 1.20)

c)    Deus é único (Dt 4.35; 6.4; 32.39)

d)    Deus é sábio (Rm 11.33; 1 Co 1.21,30; Ef 3.10; Cl 2.3)

One Response to A doxologia final de Romanos 16.25-27

  1. jair rugila disse:

    gostei da resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *