Voltai para mim, diz o Senhor – Joel 2.12

Os profetas menores são absolutamente relevantes para a nossa geração. Sua mensagem é contundente, oportuna e urgente. Embora tenham vivido há mais de 2500 anos, abordam temas que estão na agenda das famílias, das igrejas e das nações.

Os profetas menores lamentavelmente têm sido esquecidos pela nossa geração. Poucos cristãos lêem e estudam com a devida atenção esses preciosos livros proféticos. Poucos pregadores, estudiosos expõem com clareza, fidelidade e profundidade esses livros no púlpito. Precisamos urgentemente resgatar a atualidades destes preciosos livros em nossos estudos, exposições e, principalmente aplicando estes livros à nossas vidas, famílias e ministérios.

No texto em destaque (Jl 2.12-14), o Eterno convoca o seu povo a se voltar para Ele. O arrependimento é o único caminho da restauração. É a única porta de escape do juízo. É arrepender-se e viver ou não se arrepender e morrer. O estudioso Dionísio Pape ressalta o fato de que não era suficiente ser o povo do Senhor. Não bastava morar na terra santa. Era necessária a conversão integral ao Senhor.

Veremos a seguir como deve ser a volta para Deus. Deus não apenas chama o seu povo a voltar-se para ele, mas detalha como deve ser essa volta.

Em primeiro lugar, é uma volta para uma relação pessoal com Deus (2.12). “[…] convertei-vos a mim …”. Isto é magnífico, pois mostra o supremo valor da graça de Deus, pois o ofendido [Deus] é aquele que busca a restauração do ofensor [nós]; o ofendido é quem convida o transgressor a renunciar sua rebeldia.

Leslie Allen está correto quando diz que a expressão: convertei” evoca o relacionamento pactual. O povo de Deus é como o filho pródigo que precisa voltar ao lar do Pai celestial. Não basta cair em si, é preciso voltar para casa. Não basta ter convicção de pecado, é preciso por o pé na estrada da volta para Deus. Não é apenas um retorno à igreja, à doutrina, à comunhão, a uma vida moral pura, mas uma volta para uma relação pessoal com Deus.

Em segundo lugar, é uma volta com profundidade (2.12) – “[…] de todo o vosso coração”.

O povo de Judá estava endurecido e indiferente à voz de Deus. Viviam para seus prazeres e não se importavam com as exortações do Senhor. O juízo estava à porta e eles folgavam em seus pecados. Antes do Eterno derramar seu juízo, Ele nos dá a oportunidade de nos arrependermos. Deus não aceita coração dividido (Sl 51.17). Ele não satisfaz com uma espiritualidade cênica, farisaica, hipócrita. Ele vê o coração e requer verdade no íntimo.

São muitos aqueles que, após um congresso, um retiro espiritual ou mensagem inspirativa, fazem lindas promessas a Deus. Comprometem-se a orar com mais fervor, a ler a Palavra com mais avidez, outros ainda, derramam lágrimas no altar do Senhor, fazem votos solenes, mas todo esse fervor desaparece tão rápido como a nuvem do céu e o orvalho que se evapora da terra.

Há aqueles que só andam com Deus na base do aguilhão. Só se voltam para Deus na hora que as coisas apertam. Só se lembram do Senhor na hora das dificuldades. Não se voltam a Ele porque o amam ou porque estão arrependidos, mas porque não querem sofrer. Para esses, o Eterno é descartável (Os. 5.15; 6.4). Estes possuem uma fé utilitarista.

Em terceiro lugar, é uma volta com diligência (2.12) – “[…] e isso com jejuns…”.

Deus conclama o seu povo que não aceita um arrependimento trivial, raso, transitório. Antes de serem restaurados precisam ser tomados de uma profunda convicção de pecado e de como haviam ofendido a Deus. Quem jejua tem pressa. Quem jejua está dizendo que a volta para Deus é mais importante e mais urgente que o sustento do corpo (Mt 4.4).

O jejum é instrumento de mudança, não em Deus, mas em nós. Leva-nos ao quebrantamento, à humilhação e a ter mais gosto pelo pão do céu do que pelo pão da terra. O jejum é uma experiência pessoal e intíma (Mt 6.16-18). Há momentos, porém, que ele se torna aberto, declarado e coletivo. Joel conclama o povo todo a jejuar nesse processo de volta a Deus (2.15).

O rei Josafá, numa época de profunda agonia e a de ameaça para o seu reino, convocou toda nação para jejuar, e o Eterno deu-lhe livramento (2 Cr. 10.1-4,22). A rainha Ester convocou todo o povo judeu para jejuar três dias, e Deus reverteu a sentença de morte já lavrada sobre os judeus exilados (Et. 4.16).

Em quarto lugar, é uma volta com sinceridade (2.13) – “Rasgai o vosso coração e não as vossas vestes”.

Deus não se impressiona com o desempenho humano. Ele não é movido por nossos gestos, nossa teatralização. Ele não se satisfaz com uma espiritualidade divorciada de uma vida de santidade. Ele não aceita um quebrantamento apenas exterior. Esse costume de rasgar as vestes era parte da reação cultural diante de uma crise (2 Rs. 19.1). A contrição interna é mais importante do que a manifestação externa de pesar. É o coração que deve ser atingido. É ele que deve ser rasgado.


O Eterno não se deixa enganar por nossos gestos, palavras bonitas e emoções sem quebrantamento. Deus vê o coração (1 Sm 16.7). Diante Dele não adianta “rasgar seda”: é preciso rasgar o coração. Para Deus não é suficiente apenas estar na igreja (Is 1.12) e ter um culto animado (Am 5.21-23). É preciso ter um coração rasgado, quebrado, arrependido e transformado. Um coração compungido jamais será desprezado por Deus.

Nele, que nos convoca para uma verdadeira conversão

Pr Marcello de Oliveira

Bibliografia: Pape, Dionísio. Justiça e esperança para hoje, p. 28
Lopes, Hernandes Dias. Joel. Ed. Hagnos 2009
Wiersbe, Warren. Comentário Expositivo. Geográfica Editora – 2006


16 Responses to Voltai para mim, diz o Senhor – Joel 2.12

  1. Prezamado pr. marcello de Oliveira,

    Shalom!

    Depois de ler esta matéria imaginei o sofrimento que o nosso irmão Joel, sentiria diante do que os nossos olhos contemplam, nestes momentos tão indiciplinados do povo de Deus.

    O abuso é convicto diante de tamanhas heresias.

    Convivemos em uma era de ingratos e salteadores do templo.

    Os profetas menores, se visitassem grande parte das igrejas de hoje, sentiriam VERGONHA e com certeza, seriam expulsos e ultrajados, e não duvido se os crucificassem diante dos governos para agradar os políticos, como tem sido comum, a maioria.

    O Senhor nos ajude, pr, marcello de Oliveira, a convivermos com estas aberrações que se tornaram como lepra no meio da igreja.

    Perderam a sensibilidade, e se sentem com muita sensibilidade.

    Vigiar e orar!

    pr. Newton Carpintero
    http://www.pastornewton.com
    Contra a Falácia da Prosperidade!

  2. Carla disse:

    Marcello: seu site é excelente. Visito todos os dias e até imprimo alguns posts para ler com calma depois. Me faz lembrar de quando estudava no curso teologico. Muito bom.Continue escrevendo!
    Um abraço
    Carla

  3. Graça e paz Pr Marcello. Temos visto hoje em dia muitas igrejas com muitos membros, mas são poucos os membros do corpo de Cristo. Muitos estão mudando de religião, mas não estão se convertendo ao Senhor. A mensagem de arrependimento está cada vez mais escassa em muitas igrejas, por isso não há arrependimento, só mudança de religião, de comportamento, de hábitos… Mas estão longe da verdade que liberta. Que o Senhor coloque em nossos lábios a Sua Palavra para que, as pessoas que nos ouvem, ouçam a Verdade e alcancem o verdadeiro encontro com Cristo.
    Fique na Paz!
    Pr Silas

  4. Shalom, Pr. Marcelo, parabens pela sua postagem, o que me chama a atenção é que o Todo Poderoso sempre se preocupou em mandar profetas falarem sobre o arrependimento, sobre a verdadeira conversão, infelizmente hoje em dia este tipo de mensagem está escassa, a minha oração é que nós voltemos aos primódios, quando a salvação era mais importante, quando o arrependimento trazia soluções e cicatrizava a ferida na alma.

    Fique com Deus, e até o próximo comentário.

    Em Cristo,

    Pb. Juari Barbosa

  5. Caro Pr. Marcelo
    Ler o profeta Joel, é receber um convite do Espírito de Deus para o quebrantamento e humilhação diante do Senhor!
    Busca o Senhor neste tempo, pastores que chorem entre o alpendre e o altar.
    Pastores que rasgam o coração. Que sejamos encontrados por ele neste estado de completa rendição.
    Penso que a nova geração de arautos de nosso tempo, que está perdida em algum lugar entre o Calvário e o Cenáculo do Pentecoste, precisa dar crédito a Mensagem profética de Joel.

    Pr. Marcos Antonio da Silva

  6. Caro amigo Pr. Marcello de Oliveira,
    Shalom!

    Assim como no início, quando o homem pecou, o Eterno sempre está nos convocando para um retorno.

    Que o Espírito Santo nos ajude a reconhecermos essa necessidade de ouvirmos a Sua voz, porém, acima de reconhecermos, tomarmos uma atitude.

    Parabéns pelo excelente texto!

    Um grande abraço!
    Pr. Carlos Roberto

  7. Pastor Marcelo, graça e paz.

    Obrigado pela visita ao blog ócio teológico. Também apreciei teus txts.

    forte abraço

    Rodrigo de Aquino – Joinville/SC

  8. Olá pastor Marcelo,

    obrigado pela visita ao ocioteologico, também apreciei teus txts. Quero visitá-lo com mais tempo.

    Forte abraço

    Rodrigo de Aquino – Joinville/SC

  9. Bárbara Lima disse:

    Olá Marcello, tdo bom?
    Bom, venho agradecer a visita q fez a um dos meus blogs, o Bá arte em quilling, onde coloco meus trabalhos, mto obrigada, e obrigada tbm pelo texto q pediu q p eu lesse!

    Ate mais ver!

  10. Gy Camargo disse:

    Olá Pr. Marcello!
    Adorei o texto e as citações pertinentes.
    Acredito, como você, que na atualidade o homem está sentindo a falta de Deus.
    Os sinais estão aí para todos nós vermos: enchentes, tufões, furações, pestes (gripe, AIDS, câncer, homicídios, entre outros).
    Não podemos ficar só clamando: "Senhor…senhor" é hora de agirmos como filhos Dele.
    O filho expulsou os vendilhões do Templo? Façamos o mesmo.
    Deu a outra face e acreditou na Justiça Divina? Façamos também. Dividiu o pão com os irmãos? Façamos. Foi às Bodas de Caná e integrava a Sagrada Família? Que as nossas assim o sejam também.
    Obrigada pela visita, meu espaço também é seu!
    Bjks,
    Gy

  11. Pr. Marcelo,

    Obrigado pela visita no meu blog, http://www.blogdoruas.blogspot.com .
    Sobre o texto, nada a acrescentar. Acredito que essa volta é necessária constantemente em nossa vida.
    Que o Senhor lhe abençoe.

    Fernando Ruas

  12. Jocum Manaus disse:

    Meu irmao obrigado, pala palavra realmente me edificou.
    ore por nosso ministerio, fique com Deus.

  13. Gerson disse:

    Paz seja contigo.

    Maravilhoso Texto! Num determinado trecho o irmão menciona uma passagem de Oséias 6.14, mas este capítulo termina no verso 11. Qual seria o verso correto? O 6.4, por exemplo?
    Seu site é muito bom. DEUS te abençoe por esta benção.

  14. Mariane disse:

    Graca e paz.

    Palavras sábias de quem realmente é alcançado pelo Espírito Santo, nos arrependemos e voltemos ao Senhor com nosso coração cheio de gratidão ao Criador.

    DEUS continue lhe abençoando

    Abraço

  15. Meu coração chorar, quando infelizmente vejo isso nas igrejas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *